Pesquise no Site

Rafale na Índia: A volta dos que não foram


De acordo com o Google, Maio não é um mês de clima agradável na capital da Índia. O tempo é quente e extremamente seco. E pelo visto está esquentando cada vez mais.

Após ser revelado que além dos quase 7 bilhões de dólares de investimento, o governo indiano teria de desembolsar mais 135 milhões de "doletas" por cada aeronave do futuro FGFA, os indianos voltaram a olhar com esperança para o Rafale.

O antigo programa MMRCA para compra de 126 caças de porte médio voltou a ser pensado como uma proposta interessante. A licitação original tinha sido "estuprada" pelo então recém eleito Narendra Modi, que diminuiu para 36 a quantidade a ser adquirida de caças Rafale, vencedor da concorrência em 2012.

Denuncias de corrupção e o elevado custo unitário do Rafale, jogaram um balde de água fria na compra, cuja assinatura do contrato se arrastou por quase 4 anos após a escolha do vencedor, por conta de divergências sobre garantias, transferências de tecnologia e off-sets.

Agora, o custo unitário de 106 milhões* de cada Rafale parecem soar como música para os indianos que também precisam de aeronaves para sua marinha.  E a Dassault quer oferecer mais! Jogue nesse caldeirão a pressão americana com a oferta de Super Hornets e F-16 sendo feitos na Índia, a custos na ordem de 70 milhões de dólares a unidade.

Assim fica difícil escolher, né? Mas não está fácil para ninguém. Ao "Mendigo Atômico"  e vizinho Paquistão só resta adquirir mais três Saab 2000 Erieye, aeronaves AEW & C, que irão se juntar aos outros três existentes e ficar quietinho no seu canto. 

A Índia já se tocou que o vizinho pobre não é uma grande ameaça. O perigo tem olho puxado e fala esquisito. Bobo é aquele que ainda acredita que o perigo esta na Russia. Trezentos Super Sukhois e uma centena de Rafales poderiam parar o poderio Chinês? 

Com informações do IDRW e QUWA

* Nota sobre o custo unitário do Rafale: O valor de 106 milhões é apresentado pela mídia indiana neste outro artigo aqui do IDRW. Aparentemente os autores estão pegando o custo da compra dos Rafales que é da ordem de 8 bilhões de dólares e descontando somente o que corresponde a plataforma, conforme matéria da Defense News. Se formos considerar o montante que será "devolvido" sobre a forma de off sets e compensações, o valor seria mais baixo ainda...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...