PAK FA: Será que realmente perdemos uma grande oportunidade?


Hoje em um daqueles famosos grupos de discussão das redes sociais alguém de novo trouxe a tona aquela velha história de que o Brasil perdeu uma grande oportunidade ao excluir os Su-35 russos da tão mal falada short list do programa FX. Aquela listinha que deixou apenas o Gripen, o Rafale e Super Hornet disputando.

O fato ocorreu em 2008 e ainda hoje as pessoas choram e lamentam a oportunidade perdida, principalmente porque poderíamos ter participado do desenvolvimento do PAK FA T-50, o futuro caça furtivo russo.

Nós meros contribuintes, não tivemos nenhum poder de decisão sobre o programa FX. Portanto já seria uma total perda de tempo ficar lamentando as escolhas de terceiros. Eu não fico lamentando nem as minhas decisões erradas pois considero isso improdutivo... Porém tento aprender com os meus erros e com os erros dos outros para não repeti-los.

Um bom exemplo a se estudar é a Índia. Uma grande parceira dos russos, que comprou Su-30 e que entrou no programa do PAK FA para desenvolver o seu caça de quinta geração (FGFA) com ajuda russa. O que hoje alguns indianos pensam desse programa?

De acordo com o IDRW, os indianos hoje vivem uma situação desconfortável com custos fugindo das expectativas iniciais. Já investiram 300 milhões de dólares no programa e os russos estão exigindo mais 6,7 bilhões. 

Esse valor só daria aos indianos quatro protótipos do FGFA. Sendo ainda necessários mais 135 milhões de dólares por cada unidade do caça futuramente adquirido. Como se não bastasse, a Russia quer que a Índia adquiria 127 unidades que só estariam disponíveis em 2027-28.

É provável que o custo total do projeto chegue a 24 bilhões de dólares, quase o dobro do previsto. Hoje os indianos discutam se vão ou não seguir com o programa.

Voltando ao nosso caso: Será que foi realmente uma oportunidade perdida? Alguém ai tem uma bola de cristal?

Com informações do India Today