Aerofatos Um blog diferente Quanto mais eu pesquiso... mais certeza tenho... de que não sei nada!

4 de jul de 2016

KC-390: "O avião made in Portugal"?


Hoje pela manhã, ao abrir minha caixa de entrada, encontrei várias matérias da mídia portuguesa falando sobre a apresentação do KC390 em Portugal. O que me chamou a atenção é o fato dele estar sendo "vendido" como um produto feito com  56% de tecnologia portuguesa. Segue abaixo uma das matérias publicadas por lá...




KC-390: o avião made in Portugal

Governo apresenta hoje o KC-390, um avião militar fabricado na Embraer, com incorporação de 56% de indústria nacional* 


Mais de 450 mil horas de engenharia portuguesa. Mais de 2100 desenhos técnicos desenvolvidos. Mais de 350 postos de trabalho altamente qualificado. Resultado: uma aeronave KC-390 com uma incorporação nacional superior a 56%. É o avião made in Portugal que António Costa apresenta hoje, ladeado pelo ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

O KC-390, que é o protagonista na cerimónia de Alverca, nas OGMA, tem fins militares e civis, logístico e de transportes e missões de salvamento. Trata-se do primeiro programa de aeronáutica com engenharia nacional e é também o maior em termos de participação da indústria portuguesa. Envolveu mais de 35 entidades nacionais , desde o desenvolvimento da aeronave ao fabrico e exploração de oportunidades geradas através de consórcios liderados pela Empresa de Engenharia Aeronáutica. (EEA).

À VISÃO, o ministro da Economia reconhece que este pode ser o "primeiro passo" para que as empresas nacionais e os interfaces tecnológicos "se posicionem na indústria aeronáutica que é global", tendo em conta "as competências de engenharia e produção adquiridas com o projeto KC-390".

Este avião resulta da cooperação internacional (portugueses, brasileiros, argentinos e checos) e está a ser produzido nas fábricas da Embraer, em Évora. A empresa aeronáutica brasileira está em Portugal desde 2008, ano em que assinou um acordo de investimento com o Governo liderado por José Sócrates.

A parceria com as OGMA tem sido desde então uma constante, num setor especializado que constitui uma das prioridades a nível nacional. Caldeira Cabral atribuiu esta importância estratégica ao setor aeronáutico, "pelo seu potencial de geração de valor com base na tecnologia, de especialização da indústria e de criaçãode emprego altamente qualificado".

O ministro acrescenta ainda à VISÃO que "os contratos de investimento (incentivos financeiros e fiscais) celebrados com empresas como a Embraer e Mecachrome refletem já o sucesso que esta aposta tem na atração de projetos estruturantes, com vocação exportadora e criadora de emprego".

Segundo o ministério da Economia, este programa do avião KC-390 coloca “Portugal no mapa europeu e internacional de fornecedores altamente qualificados e especializados no setor da indústria aeronáutica”.

O desenvolvimento do KC-390 foi contratado pela Embraer à EEA, que subcontratou o Centro de Excelência e Inovação da Indústria Automóvel (CEIIA) ao nível de engenharia e testes e também a OGMA, para estruturas e ferramentas.

Em termos de impatos quantificáveis, este programa irá gerar royalties por cada estrutura entregue pela OGMA à Embraer para a EEA até 15 milhões de euros. E ao nível de novos contratos adjudicados ao CEIIA e a outras empresas mais de 13 milhões de euros.

O programa envolveu ainda as universidades portuugesas e instituições de interface nacionais.

A Visão

* A palavra nacional no título, refere-se a Portugal

Veja também outras matérias da midia portuguesa:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...