Pesquise no Site

Queda de helicóptero em SP


O Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) investiga se falha técnica ou mau tempo provocaram a a queda do helicóptero em Jundiaí, no interior de São Paulo, no domingo (26). As cinco pessoas a bordo morreram, segundo o Corpo de Bombeiros e a Força Aérea Brasileira (FAB).


Um dos itens que a Aeronáutica vai investigar é como estavam as condições do tempo na hora.  Por ser uma região de serra, os pilotos dizem que é comum nessa época do ano o tempo fechar de repente e os nevoeiros formarem verdadeiras armadilhas para quem está pilotando.

Segundo o aeroporto de Jundiaí, entre 8h e 9h de domingo, o vento na serra era cerca de 18 quilômetros por hora, uma velocidade considerada moderada. Tinha uma névoa úmida e estava nublado. A visibilidade era de 3 mil metros.  Os pilotos consideram isso como razoável para uma área de serra.

O tenente-coronel Aldalberto Santos Prado, do Seripa, diz que acidentes assim não possuem causa única.

“Nós sabemos que o acidente nunca possui uma causa única, possui fatores contribuintes, que se relacionam e acabam provocando o acidente, então todos os fatores que contribuíram para a ocorrência cabe ao sistema de investigação e prevenção descobrir”, disse.

Técnicos estão no local tentando recolher peças do helicóptero, que vão ser levadas para a capital paulista para serem analisadas. O helicóptero era pilotado pela comandante Jovilde Aparecida Calisctil, que estava há 13 anos na aviação civil e tinha mais de 4.500 horas de voo.

Comandante Jô, como era conhecida, já havia trabalhado como co-piloto de helicópteros em plataformas de petróleo em alto mar.  A investigação feita pela aeronáutica vai analisar também as condições mecânicas do helicóptero.

Os documentos do helicóptero estão em dia, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A aeronave modelo Bell 407, matrícula PRCBB, saiu do aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, às 7h56 de domingo e desapareceu quando seguia em direção a Americana, no interior. Os destroços foram localizados na manhã desta segunda-feira (27).

Localização onde destroços do helicóptero foram encontrados próximo a Jundiaí (Foto: Reprodução/Google Earth e Divulgação/Corpo de Bombeiros)
De acordo com a Anac, tanto o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) e a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) estavam válidos (o primeiro venceria em 18 de março de 2022 e o outro, em 18 de março do ano que vem). No site da agência, a situação de aeronavegabilidade do helicóptero era considerada normal.

A aeronave tinha seis lugares e podia decolar com até 2.268 kg. Ela possuía um motor turboeixo e estava em nome de Safra Leasing S.A. Arrendamento Mercantil. O Bom Dia Brasil informou que o helicóptero era de propriedade de Alexandre Costa, fundador da Cacau Show, e do empresário Geraldo Vagner de Oliveira. Em nota, Costa informou que vendeu sua parte na aeronave para Oliveira, embora ainda não tenha recebido o valor de sua parte nem alterado a documentação.

Piloto

A comandante Jovilde Aparecida Calisctil era uma ex-comissária de bordo da Gol que se tornou instrutora de voo e era apaixonada por helicópteros.

"Em função das condições de visibilidade e das características geográficas da região, foi deslocado um helicóptero Águia da Polícia Militar de São Paulo para o local, que confirmou que se tratava dos destroços da aeronave desaparecida e que, lamentavelmente, não há sobreviventes", diz nota da FAB.

A aeronave perdeu contato na região de Cajamar, próximo ao pedágio da Rodovia dos Bandeirantes, no sentido interior.

O pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PRB, Celso Russomanno, afirmou em sua página no Facebook que amigos dele estavam no helicóptero.

"URGENTE, POR FAVOR COMPARTILHEM! 

Amigos de Caieiras e Região. Hoje às 8h07 da manhã, o helicóptero em que meus amigos estavam desapareceu e até o momento não tivemos nenhuma notícia, estava próximo ao pedágio da Bandeirantes, nesta região de Caieiras. Se vocês ouviram algum barulho, viram algum sinal de fumaça, ou movimento diferente na região, por favor entrem em contato com as autoridades e me avisem o quanto antes. Peço que compartilhem com todos que puderem. As famílias estão desesperadas. Seguem as fotos e nomes da piloto e passageiros. Helicóptero Bell 407, matrícula PR CBB. Piloto Josilde, Vagner Oliveira, Vagner Lanzoti, Oscar Marchini e Francisco Rebolo", 

diz o post.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...