Com os olhos do Tio Jacó


Satélite israelense vai ajudar na segurança da Olimpíada no Rio

Eros-B tem capacidade de definição de imagem de até 70 cm do chão.
Satélite ficará disponível, de forma experimental, por quatro meses.

A tecnologia israelense ajudará a observar e monitorar as principais áreas olímpicas durante os Jogos 2016, no Rio a partir de agosto. Com câmeras de alta resolução, o satélite Eros-B será um dos instrumentos de segurança em atuação na Olimpíada com capacidade de mostrar objetos com menos de 70 centímetros sobre a superfície terrestre. O satélite já está operando na órbita brasileira.

Vídeo demonstrativo do Ministério da Defesa mostra o satélite sobrevoando a região das praias cariocas, o aeroporto do Galeão e as principais instalações olímpicas como o estádio do Maracanã, na Tijuca, Zona Norte e toda a região do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, Zona Oeste.


De acordo com a Defesa, o satélite ficará disponível, de forma experimental, por quatro meses, realizando o reconhecimento do espaço aéreo e oferecendo auxílio para os meios de defesa aérea identificarem possíveis ameaças. As imagens geradas serão enviadas para os órgãos de inteligência brasileiros, responsáveis pela segurança durante a Olimpíada.

Segundo as autoridades de segurança, as informações geradas pelo equipamento poderão auxiliar, por exemplo, o deslocamento para atender a possíveis chamados durante a Olimpíada. Será possível fazer envio de aviões e reforço policial por terra para os locais onde houver necessidade de reforço de segurança. 

Atualmente, o Eros-B está em uma órbita de 520 quilômetros da terra. De acordo com a Força Aérea Brasileira, em breve, ele deverá operar a uma altitude de 450 quilômetros, o que alterará a definição de 70 para 50 centímetros, aumentando a capacidade de identificação.



Segurança nos Jogos

Em maio, o Ministério da Defesa anunciou que o efetivo de miliatares durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos seria de 38 mil militares. Somente no Rio de Janeiro, 20 mil homens vão trabalhar.

Os outros 18 mil militares vão fazer a segurança das cinco cidades onde haverá disputas de futebol (Belo Horizonte, Brasília, Manaus, São Paulo e Salvador).

No total, o ministério e as secretarias de Segurança Pública do Rio e dos estados envolvidos deverão contar com 85 mil homens. Dos R$ 704,4 milhões destinados pelo governo federal ao Ministério da Defesa para a segurança dos Jogos desde 2014, R$ 240 milhões serão investidos no custeio das operações.

Jogos

Os Jogos Olímpicos do Rio serão realizados entre 3 e 21 de agosto de 2016. Nos jogos, 10,5 mil atletas de 206 países disputam 306 provas de 42 modalidades, sendo golfe e rúgbi as novidades nesta edição das Olimpíadas. As paralimpíadas vão ser realizadas entre 7 e 18 de setembro de 2016.

São esperados 4,35 mil atletas de 176 países distribuídos nas 23 modalidades em que disputam 528 medalhas. Nesta edição, a canoagem e o triatlo são esportes estreantes.

Esta será a 16ª edição dos Jogos Paralímpicos, que foram disputados oficialmente pela primeira vez em Roma, na Itália, em 1960. Em 2016, será a primeira vez que os jogos serão realizados na América do Sul.