A vida dura da Embraer


Não é nada fácil ser a principal empresa aeronáutica brasileira. Sofre com cortes do governo, sofre com as oscilações mercado, acionistas pressionam daqui, metalúrgicos pressionam de lá...

Ontem, por exemplo, de acordo com a Reuters, a Embraer diminui a previsão de receita para este ano, devido a um corte de US$ 300 milhões nos negócios de defesa e segurança. Era previsto para 2015 uma receita líquida entre US$ 6,1 e US$ 6,6 bilhões, mas sua estimativa agora é faturar algo entre US$ 5,8 e US$ 6,3 bilhões.

Contribuíram para isso a desvalorização do Real frente ao Dólar e a diminuição no ritmo de desenvolvimento de determinados contratos de defesa. Como consequência o cronograma do KC390 foi estendido. Isso fez as ações caírem ontem

Apesar disso, de acordo com o Infomoney, hoje as ações subiram após a divulgação que a empresa teve lucro líquido de R$ 405,5 milhões no segundo trimestre, aumento de 24% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo o G1.

Bastou a notícia de lucro e os Metalúrgicos da Embraer já estão pedindo 15% de reajuste, sendo 5% de ganho real e a inclusão de um gatilho salarial, de acordo com o site Exame.


Hoje, que deveria ser um dia tranquilo, a queda de um Phenom 300 em um patio onde havia um leilão de carros, nos arredores do aeroporto britânico de Blackbushe, com a morte de 4 pessoas resolveu incomodar mais um pouco os executivos da empresa. 

Se serve de consolo, segundo O Globo, era um jato da família do Bin Laden... 


Continuaremos compartilhando matérias pelo Facebook e pelo Twitter
basta acessar:
Lembre-se: Você não precisa ter Face ou Twitter para acessá-las