Problema em software teria causado queda de avião da Airbus na Espanha


A falha fez com que três dos quatro motores do A400 parassem de funcionar logo após a decolagem

A Airbus divulgou nesta terça-feira (19) um alerta pedindo que o software de todas as aeronaves A400M sejam atualizados, após uma falha no sistema do avião ter causado um acidente fatal no começo do mês.

O alerta da fabricante francesa acontece dias após a queda de um recém-fabricado A400M, em um voo teste em Sevilha. No acidente, qual quatro militares da Força Aérea espanhola morreram e outros dois se feriram.

A aeronave deveria ter sido entregue para o governo da Turquia. As Forças Armadas do Reino Unido e da Alemanha, que também compraram o avião, desistiram de voar com a aeronave até que novos esclarecimentos sobre o caso sejam prestados. A França, porém, continua a usar o A400M.

Segundo uma reportagem da revista alemã Der Spiegel, um problema no software do avião causou uma pane nas unidades de controle de três das quatro turbinas o avião, fazendo com que elas parassem de funcionar imediatamente após a decolagem.

O ministério de Defesa da Espanha diz que está investigando o acidente, mas não divulgou detalhes sobre o caso. Os dados da caixa preta da aeronave também foram classificados como confidenciais pelo governo espanhol.

Após uma investigação interna sobre a segurança da A400M, a Airbus pediu que os donos da aeronave façam testes específicos das unidades de controle antes de cada voo, além de atualizar o software do avião. "É uma precaução que é parte de nossas atividades", diz a nota.

O Airbus A400M é considerado o maior projeto de defesa desenvolvido na Europa atualmente, custando 20 bilhões de euros (67 bilhões de reais). Ele foi desenvolvido pela OTAN para substituir os antigos cargueiros militares do continente.

Desde seu início, o projeto teve uma série de problemas. Questões técnicas com o reabastecimento, carregamento de cargas e outras operações causaram o atraso na entrega da aeronave. A Airbus vendeu 174 A400M, mas apenas 12 estão em funcionamento.