Drone da Google movido por energia solar cai em teste nos EUA


Um drone movido por painéis que captam energia solar e que pertence à Google ficou completamente destruído após cair no território do Novo México, nos Estados Unidos.

O veículo não tripulado ainda era um protótipo que tinha como objetivo levar internet para as regiões mais remotas do planeta. A fabricação é da Titan Aerospace, uma empresa que foi comprada pela Google em 2014 e que também estava na mira do Facebook. A rede social adquiriu uma companhia rival e está desenvolvendo os próprios projetos na área.

O modelo Solara 50 caiu logo após a decolagem, em um teste que aconteceu no dia 1º de maio. As investigações ainda não terminaram e só se tornaram públicas no fim do mês: o terreno da queda fica na região de Albuquerque e era privado. Felizmente, ninguém ficou ferido, e causa do acidente ainda não foi determinada pelas autoridades responsáveis.

Ainda assim, a preocupação com a regulamentação do espaço áereo de trânsito desses drones é alta: eles ficam a  quase 20 mil metros de altitude — mais que aeronaves comerciais — para captar os sinais de recepção de internet e enviá-los como se fossem um satélite.

"Apesar de nosso avião protótipo ter caído durante um teste recente, nós continuamos otimistas sobre o potencial de aeronaves movidos por energia solar para ajudar a levar conectividade. Parte da construção de uma nova tecnologia é superar obstáculos ao longo do caminho", afirmou a porta-voz da Google, Courtney Hohne, ao site Bloomberg.