Airbus ameaça reconsiderar investimentos se o Reino Unido sair da União Europeia


A gigante da aviação garante que, se o Reino Unido sair da União Europeia, a empresa terá que reconsiderar os investimentos no país. "A melhor forma de garantir [investimento internacional] é permanecer na União Europeia", sublinha o presidente da Airbus no Reino Unido, Paul Kahn.

Se o Reino Unido sair da União Europeia, a Airbus vai reconsiderar os seus investimentos no país. O aviso foi deixado pelo presidente da empresa no Reino Unido, Paul Kahn, que lembrou que a economia britânica deve competir pelo investimento internacional.

"A melhor forma de o garantir é permanecer na União Europeia", frisou o responsável, citado pela BBC.

Paul Kahn sublinhou que empresas como a Airbus devem estar na linha da frente do debate. "Acredito que é vital para uma empresa como a Airbus tomar uma posição a favor do Reino Unido na União Europeia", afirmou.

O responsável da Boeing deixou ainda um aviso: se o país sair da União Europeia, a empresa vai reconsiderar os investimentos no país, onde tem mais de 16 mil trabalhadores.

"Se depois de uma saída da União Europeia, as condições económicas no Reino Unido foram menos favoráveis para os negócios do que noutras partes da Europa, ou fora dela, a Airbus reconsideraria o investimento futuro no Reino Unido? Sim, sem dúvida", admitiu Kahn.

A Airbus é a segunda maior fabricante de aviões, a seguir à Boeing, e uma das maiores empresas industriais da Europa com operações na Alemanha, França e Espanha. E não é a primeira a deixar avisos ao Governo.

Na segunda-feira, o presidente da empresa de equipamentos de construção JCB disse que o Reino Unido não deve temer uma saída da União Europeia. Já o presidente da CBI, Mike Rake, defendeu que as empresas devem estar a favor da permanência numa União Europeia reformada.

Na terça-feira, o Financial Times avançou que, caso o sim saia vencedor, e o Reino Unido abandone a União Europeia, o Deutsche Bank poderá transferir muitas das suas operações para a Alemanha.

O primeiro-ministro David Cameron prometeu um referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia até ao final de 2017, e o tema tem vindo a agitar a agenda política e empresarial.

Jornal de Negócios

Em tempo: A Airbus espera receber um "número significativo" de encomendas no próximo mês durante a Paris Airshow, disse um executivo sênior da empresa nesta quinta-feira. O vice-presidente de estratégia e marketing da companhia, Marwan Lahouf, deu a declaração em uma coletiva de imprensa da associação da indústria aeroespacial francesa GIFAS, que ele também dirige. A feira, que se descreve como a maior do mundo, ocorrerá de 15 a 21 de junho. (Reuters)