Adolescente cria sistema para impedir que germes se espalhem em cabines de avião


ADOLESCENTE DE 17 ANOS GANHA R$ 226 MIL APÓS INVENTAR SISTEMA QUE EVITA GERMES EM AVIÕES. CANADENSE PROJETOU BARBATANAS QUE REDIRECIONAM O FLUXO DE AR, CRIANDO PAREDES VIRTUAIS EM TORNO DE CADA PASSAGEIRO

Um estudante canadense de 17 anos ganhou o principal prêmio de uma competição internacional de ciências e engenharia para estudantes do ensino médio do mundo. Raymond Wang levou para casa US$ 75 mil (aproximadamente R$ 226 mil) por inventar uma nova forma de impedir que germes se espalhem em cabines de avião.


"É muito emocionante. Eu definitivamente não esperava", disse Wang, em entrevista ao Washington Post. "É literalmente o dia mais feliz da minha vida." O garoto começou a pensar sobre o problema em dezembro, depois de o surto de ebola tomar conta dos noticiários.

Embora a doença não se propague por meio do ar, outras contagiosas, sim — incluindo o H1N1, a gripe suína. É um problema sério dentro de aviões, onde todos estão respirando o mesmo ar.

O garoto diz ter decidido enfrentar o problema ao descobrir que poucas pessoas na indústria da aviação estavam trabalhando ativamente em formas de melhorar a qualidade do ar no avião. "Na cabine tradicional, você tem dois grandes e turbulentos redemoinhos acontecendo. Está espalhando doenças", diz Wang.

Ele criou simulações de alta resolução do fluxo de ar dentro da cabine de um avião comercial (veja abaixo) e então usou essas simulações para projetar dispositivos em forma de barbatana que se encaixam nas entradas de ar existentes em aeronaves. As barbatanas redirecionam o fluxo de ar, criando paredes virtuais em torno de cada passageiro. Cada pessoa recebe o que Wang chama de "zona de ventilação personalizada".

Basicamente, seus espirros que você dá são empurrados para fora da cabine antes que possam se espalhar. Sua invenção melhoraria a disponibilidade de ar fresco na cabine em 190% e reduziria a concentração de germes no ar em 55 vezes, segundo ele. Wang estima um custo de US$ 1 mil por avião. Assista à circulação de ar tradicional e à proposta por Wang na Intel International Science Engineering Fair: