Seis meses para retirar um avião


Após quase seis meses, avião é retirado do local do acidente em RR.

Avião fez pouso forçado no Parque Nacional do Viruá em outubro de 2014.
Aeronave foi removida para Boa Vista somente nesta sexta-feira (10).

O avião Cessna U206G, matrícula PP-FFR, que fez um pouso forçado no Parque Nacional do Viruá em outubro de 2014, só foi retirado do local do acidente nesta sexta-feira (10). A demora, segundo o chefe da Casa Militar, coronel Nelson Silva, foi devido à dificuldade de acesso ao local, uma região de mata e pântano. A aeronave pertence ao governo do estado.

As asas do avião tiveram que ser retiradas para ser feita a remoção até Boa Vista. De acordo com o coronel, a aeronave não estava muito deteriorada e possivelmente voltará a funcionar, após ser avaliada no hangar do governo, local onde foi guardado.


"Uma equipe foi até o local e fez uma avaliação da melhor forma de retirar o avião de lá. Com isso, conseguimos uma autorização para entrar no local com um trator e uma carroça. Embarcamos a aeronave e levamos até a Vila Petrolina. De lá, a trouxemos para Boa Vista em um guincho", explicou o coronel.

Segundo Silva, a Aeronáutica terminou o relatório e não foi encontrado um problema específico para a causa do acidente, sendo apontado apenas que o motor parou durante o voo.

"O motor foi levado para avaliação em São Paulo e após isso foi devolvido ao governo do estado", disse. O G1 procurou o relatório do acidente no site do  Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), porém os dados não foram localizados.

No dia do acidente, a aeronave havia decolado de Santa Maria do Boiaçu, região Sul de Roraima, para Boa Vista. Estavam a bordo cinco pessoas que foram encontradas após cinco dias andando na mata. De acordo com o coronel, era a primeira viagem do avião após ter sido feita uma adaptação para transportar pacientes das regiões de difícil acesso no estado.