Homem é detido por pousar drone radioativo na casa do premier japonês


Desempregado planejava interromper as atividades na residência oficial.
Avião carregava cartaz expressando oposição à energia nuclear.

A polícia do Japão anunciou neste sábado (25) a prisão de um homem que teria pousado um pequeno drone com vestígios de radioatividade no telhado da residência oficial do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, em Tóquio.

Yasuo Yamamoto, de 40 anos, se entregou sexta-feira (24) à noite à polícia local de Fukui, 350 km a oeste de Tóquio, com o que seria o controlador do drone, segundo a imprensa local.

O homem, desempregado, explicou em seu blog que o avião tripulado carregava areia de Fukushima, onde ocorreu a crise nuclear após o tsunami de 2011, e um cartaz expressando sua oposição à energia nuclear.


Yamamoto foi levado a Tóquio para interrogatório, segundo um porta-voz da polícia metropolitana da capital japonesa. "O suspeito planejava interromper as atividades na residência oficial do primeiro-ministro", explicou.

O artefato motorizado de 50 centímetros foi encontrado durante a manhã de quarta-feira (22) no teto do moderno edifício de cinco andares conhecido como "Kantei", no coração da capital japonesa, segundo a polícia municipal.

No entanto, o porta-voz da polícia indicou neste sábado que o drone pousou no telhado em algum momento entre 22 de março e 22 de abril, quando foi encontrado.

No blog, identificado pela imprensa local como pertencente a Yamamoto, ele alega ter pousado o drone na residência do primeiro-ministro por volta das 3h30 da manhã do dia 9 de abril, mas afirma que perdeu o controle da engenhoca e que voltou para casa sem saber sua exata localização.

Após o incidente, o governo japonês disse que vai considerar regular o voo de drones e ordenou o reforço da vigilância do espaço aéreo sobre edifícios importantes, incluindo centrais nucleares e aeroportos.