Despertando vocações, mesmo com custos e críticas.


De acordo com um site da região, um ano e meio após ser inaugurado, o monumento com um "Xavante" exposto na cidade de Volta Redonda continua sendo uma atração. Porem, até que ponto um monumento com um caça exposto ao relento pode ser benéfico?

Sabemos que a memória de um povo deve ser preservada e que vocações podem ser despertadas com tal iniciativa. Os benefícios de uma obra dessa natureza não podem ser mensurados de forma fácil. Diferentemente dos seus custos de implantação que muitas vezes são alvo de críticas daqueles que acreditam que outras prioridades devam ser agilizadas.

Também sabemos que o tempo é cruel com todos. Com o passar dos anos, manutenções serão necessárias e na maioria das vezes são negligenciadas. A ação do clima e do vandalismo dos dias atuais serão cruéis.

Fica então uma sugestão para as autoridades: Não seria mais interessante ao invés de um monumento espetado em uma pracinha, uma exposição que deixasse a aeronave estática por alguns meses em uma dada cidade e, após esse período, se deslocasse para outra região?

Julio você esta maluco! Sabe qual seria o custo? Seria viável? Haveria interesse de patrocinadores? Não sei, mas pensem com carinho nessa ideia. Pensem em quantas crianças nunca viram um caça de perto. Não vale a pena?

Tudo bem que um avião é complicado, mas e um tanque de guerra? Já pensou a felicidade da molecada de uma cidadezinha do interior tendo um Cascavel na pracinha central? Pensem. Quando se quer, tudo se consegue.

Em tempo: Após essa postagens algumas cobranças e comentários foram feitos pelas redes e por email. Gostaria de esclarecer que não sou contra esses monumentos. Acho a ideia mais interessante que doar para um país vizinho ou virar sucata. Apenas gostaria que o material não ficasse limitado a uma cidade. Apesar do exercito ter oferecido tanques a prefeituras dispostas a arcar com custos de transporte, o ideal não seria um monumento e sim uma exposição em circulação pelo Brasil.

Lembrando que foram gastos 400 mil reais para construção de um monumento às "Vitimas da Ditadura" no Parque do Ibirapuera em SP. Se nada for feito, esta será a única visão que juventude terá dos militares.