Bombas sobre o Iêmen com ajuda do Tio Sam


EUA começaram a abastecer em voo aviões da coligação que ataca xiitas no Iêmen

A aviação dos EUA começou a abastecer em voo os aviões de combate da coligação liderada pela Arábia Saudita que estão a bombardear os rebeldes Houthis no Iêmen, anunciou hoje o Pentágono.

O primeiro abastecimento ocorreu na noite de terça-feira. Um avião KC-135 Stratotanker, da Força Aérea norte-americana, forneceu carburante a um F-15 saudita e um F-16 da frota dos Emirados Árabes Unidos, indicou o coronel Steven Warren, um dos porta-vozes do Departamento da Defesa norte-americano.

«Os aviões reabastecedores vão sair todos os dias», adiantou Warren, especificando que os reabastecimentos decorrem fora do espaço aéreo iemenita.

Mas os EUA, que apoiam os esforços sauditas contra os rebeldes xiitas, asseguram que o apoio vai permanecer «limitado» e que nenhum aparelho norte-americano vai participar nos ataques aéreos.
Uma dezena de soldados dos EUA está a cooperar com pares sauditas numa base em Riade, segundo dirigentes militares norte-americanos.

O Presidente Barack Obama prometeu apoio logístico e de informações à coligação dirigida pelos sauditas, que entrou em ação em 26 de março para impedir que os rebeldes xiitas Houthis conseguissem o controlo da maior parte do Iémen.


Foto meramente ilustrativa de um F-15 americano se aproximando de um KC-135