Pesquise no Site

Amazonas: Um acidente a menos em 2014


Acidentes aéreos caem 14,2% em 2014 no Amazonas

No ano passado, seis acidentes foram registrados, contra sete em 2013

Manaus - No ano passado,  o número de acidentes aéreos, no Amazonas, caiu 14,2% em comparação com o mesmo período de 2013. Conforme dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), seis ocorrências do tipo foram registradas, no Estado, de janeiro a dezembro, contra sete, no ano anterior.

Aeronaves convencionais, a maioria particulares, e turbo hélices estiveram entre os envolvidos em acidentes registrados, no Amazonas, no ano passado. Um táxi aéreo e uma aeronave de transporte regular também compõem a lista.


Manaus, com duas ocorrências ocupou o primeiro lugar no ranking dos municípios palco de sinistros. Iranduba, Coari, Boa Vista e Novo Airão, com um caso cada, respectivamente deram prosseguimento a lista de municípios que apresentaram acidentes aéreos, em 2014, segundo a Anac.

No ano passado, seis acidentes foram registrados no Estado, contra sete em 2013, uma queda de 14,2%. Em 2012 e 2011, cinco ocorrências do tipo foram comunicadas a Anac, respectivamente.

Em 2013, Manaus e Tefé apresentaram o maior número de acidentes aéreos, duas ocorrências cada. Em seguida estavam Atalaia do Norte, Envira e Canutama, com um caso cada, conforme a Agência Ncional.

O pouso sem trem do monomotor PR-RAU, modelo 58, de propriedade da empresa Tapajós Táxi Aéreo Ltda, foi o primeiro acidente registrado pela Anac, no ano passado, no Amazonas. O sinistro sem vítimas fatais ocorreu no dia 18 de janeiro, no Aeroclube do Amazonas, zona centro-sul. Duas pessoas estavam a bordo da aeronave.

No dia 16 de abril, foi a vez do avião bimotor Piper PA-34-200T, de prefixo PT-ISH, cair no meio da mata após uma falha de motor em voo, por volta das 18h. A aeronave com dois passageiros pousou dentro de um sítio próximo ao ramal de Paricatuba, em Iranduba. Não houve feridos.

A lista de acidentes identificados pela Anac, no ano passado cita ainda o pouso forçado da aeronave turbo hélice ATR-42-500, que decolou de Coari, no Terminal 2 do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em maio. 

O avião que transportava 49 passageiros teria tido problemas após colidir com um animal na pista; o acidente sem causa determinada envolvendo a aeronave turbo hélice de propriedade da empresa Rico Táxi Aéreo Ltda, em Boa Vista do Ramos; a falha de motor em vôo da aeronave convencional de propriedade da empresa Seaplane Tours Turismo Ltda, em Novo Airão; e a perda de controle no solo do avião convencional da empresa Jamil Tur, em Manaus, no mês de outubro também são citados.

De acordo com a Anac, nem sempre os acidentes aéreos têm como causa a falta de manutenção da aeronave. Condições meteorológicas, uso de bebidas alcoólicas ou mesmo erro de projeto podem contribuir para as falhas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...