A gente se "tromba" por ai...


Um caça russo Su-27 voou perigosamente próximo e quase colidiu com um avião de reconhecimento norte-americano no espaço aéreo do mar Báltico nesta terça-feira (7), disse um representante do Pentágono.

“Na manhã do dia 7 de Abril, um RC-135U dos EUA, fazendo uma missão de rotina no espaço aéreo internacional, foi interceptado por um Su-27 russo de maneira não profissional e não segura. Os Estados Unidos informaram a Rússia sobre este incidente através de canais diplomáticos e oficiais apropriados”, disse a porta-voz do Pentágono em Washington.  

Supostamente, o avião de reconhecimento norte-americano fazia a vigilância da atividade militar russa na região da Rússia ocidental e Kaliningrado.

A mídia estadunidense afirma  que o caça russo chegou a aproximar-se a seis metros de distância do RC-135U norte-americano, o que foi descrito como uma manobra “imprudente” que pôs em perigo as vidas da tripulação do avião de reconhecimento. 
Anteriormente o Ministério da Defesa da Rússia tinha repetidamente manifestado que todos os voos de aviões militares russos são efetuados em estrita conformidade com as regras internacionais de voo no espaço aéreo internacional e em zonas de águas neutrais, não violando as fronteiras de países terceiros. 

Os oficiais da OTAN por sua vez queixaram-se do aumento da presença da aviação militar russa no espaço aéreo europeu, inclusive na região do mar Báltico. 

O comandante da Força Aérea russa, coronel-general Viktor Bondarev negou as acusações, dizendo que são parte da propaganda para distrair a atenção pública do crescimento da atividade da OTAN na proximidade das fronteiras russas.

Konstantin Kosachev, presidente do Comitê Internacional do Conselho da Federação (câmara alta do parlamento russo) opina que o Ocidente deve parar a histeria em torno dos voos de aviões militares russos, apresentando-os como agressão e demonizando a Rússia.

“Quanto ao incidente sobre o mar Báltico é preciso sublinhar um detalhe: a Rússia é um país báltico, ao contrário dos EUA”, acrescentou.


Foto ilustrativa de um incidente entre um Flanker russo e um F-16 holandês em Dezembro de 2014 também no Báltico.