Porque a China ofereceria JF17 a Bulgaria?


De acordo com o site Janes, a China teria oferecido a Bulgária seu caça JF17 como uma alternativa para substituir os antigos Mig-29 e Su-25 no programa de substituição de caças daquele país. O governo búlgaro já declarou que pode optar por caças ocidentais novos, ou usados, ou ainda atualizar seus Migs.

Segundo o site, entre os possíveis candidatos pretendidos estariam os F-16 block 25 da Guarda Nacional Americana, os F-16 MLU da Bélgica, os Eurofighter Tranche 1 da Itália ou Gripens excedentes da Suécia.

Apesar de um preço convidativo em torno de 30 milhões de dólares, o caça Sino-Paquistanês JF17 não seria a melhor opção para um país que acaba de entrar para a OTAN, que "exige" uma compatibilidade entre os equipamentos dos países membros, razão pela qual a Bulgária busca substituir seus Migs e Sukhois.

Apesar de inúmeras características interessantes, o JF17 não é um caça padrão OTAN. Uma adaptação poderia até ser feita mas levaria tempo e custaria dinheiro para ser implementada.

Em 2013, a Turquia, outro país da OTAN, pensou em adquirir um sistema de mísseis para defesa antiaérea da China. A falta de integração com os sistema da OTAN obrigou a Turquia a reiniciar o processo de aquisição, desta vez buscando fornecedores ocidentais.

Bem, não precisa ser um analista especializado para perceber que esta proposta chinesa não tem perspectiva para dar certo. O estranho é o site Janes publicar esta notícia e não entrar em detalhes sobre de onde vieram essas informações. Ele cita apenas "according to national media reports".

Lembrando que foi a Janes que disse que Moscou ofereceu Su-24 para a Argentina...

Em tempo: Outros países que deixaram a cortina de ferro, também fizeram opções por caças ocidentais, como é o caso da Romênia que adquiriu F-16 de Portugal e a Republica Tcheca que juntamente com a Hungria, fizeram leasing de Gripens suecos.