O que pensa a população argentina sobre a compra de caças chineses?


Acho que muitos estão cientes da novela em que se transformou a compra de caças pelo governo argentino. Precisando renovar sua frota antiga, Los Hermanos já tentaram adquirir Mirages, Kfirs e agora a bola da vez é o sino-paquistanês JC-1, mais conhecido como JF17 Thunder.

A mídia argentina noticiou que uma delegação iria visitar o oriente para tratar de uma compra de 12 a 24 unidades de um caça cujo custo estimado é de 25 milhões de dólares, compra que precisará ser financiada pelos chineses devido a escassez de recursos do lado argentino.

O que poucos sabem é que a população argentina esta dividida. Pelo menos é essa impressão que temos ao acompanhar os comentários pela Internet. Apesar dos entusiastas da área de defesa defenderem uma compra que seja para "ontem", o caça chinês não é unanimidade.

Muitos também não acreditam que a compra aconteça devido ao descaso do governo para com o assunto e que tal manobra seria apenas um artifício eleitoreiro.

Já, na mídia não especializada, o coro dos críticos é muito maior. Uns questionam que a prioridade seriam aviões para apagar incêndios e não caças. Alguns acham que o momento não pede este tipo de gasto. Outros acreditam que governo esta correndo contra o tempo para "roubar" o que ainda é possível já que novas eleições estão por vir.

Sinceramente? Eles que se entendam! A única coisa que me intriga é se a versão adquirida seriam os tão elogiados Block II, uma versão remotorizada do caça chines que fez seu primeiro voo essa semana e promete concorrer pelo mercado do Gripen. Será?

- Yo no creo en brujas pero que las hay, las hay...