Cinco casos de pilotos suicidas


Segundo o site português SIC Notícias, ao longo dos últimos 33 anos ocorreram cinco casos confirmados de acidentes aéreos provocados deliberadamente por pilotos:

- 29 novembro de 2013: 

O piloto de um avião da companhia moçambicana LAM precipitou intencionalmente contra o solo um Embraer 190, que acabaria por cair no nordeste da Namíbia. O voo que fazia a ligação entre Maputo e a capital angolana Luanda tinha 33 pessoas a bordo.

Segundo os resultados da investigação, o piloto trancou-se dentro do 'cockpit', impedindo a entrada do copiloto na cabine de pilotagem e ignorando os sinais de alarme.


- 31 de outubro de 1999: 

Um Boeing 767 da companhia EgyptAir caiu no Atlântico, ao largo da costa de Massachusetts (nordeste dos Estados Unidos), momentos depois da sua descolagem de Nova Iorque com destino ao Cairo. No acidente morreram 217 pessoas.

A agência de segurança de transportes norte-americana (NTSB, na sigla em inglês) concluiu que tinha sido um ato suicida do copiloto do aparelho. A análise das caixas negras confirmou que o copiloto encontrava-se sozinho aos comandos do aparelho durante uma pausa do piloto. O avião já tinha alcançado a sua velocidade cruzeiro. De acordo com as gravações, o copiloto fez uma breve oração e desligou o piloto automático.

As autoridades egípcias rejeitaram esta teoria, enquanto a imprensa norte-americana relatou que o copiloto tinha problemas financeiros e que se tinha tornado numa pessoa muito reservada.


- 19 de dezembro de 1997

Meia hora depois da descolagem em Jacarta com destino a Singapura, um Boeing 737 da companhia SilkAir (Singapura) despenhou-se num rio perto de Palembang, na ilha indonésia de Samatra, provocando a morte de 104 pessoas.

Os investigadores norte-americanos concluíram que foi um ato deliberado do piloto, apesar da ausência de registos das caixas negras, que foram desligadas antes do embate. Com base neste dado, as autoridades indonésias argumentaram que não existiam informações que sustentassem esta versão. A imprensa, que avançou com a teoria de suicídio, indicou na altura que o piloto do avião estava a ser alvo de um processo disciplinar e que tinha dívidas financeiras.


- 21 de agosto de 1994: 

Durante um voo entre Agadir e Casablanca, o piloto de um ATR-42 da Royal Air Maroc lançou deliberadamente o avião contra o solo, nas montanhas do Atlas, fazendo 44 mortos.
A investigação, sustentada sobretudo nas últimas palavras trocadas entre o copiloto e o piloto, concluiu que se tratou de um ato suicida. Segundo as gravações, o copiloto afirmou que o piloto estava a realizar manobras que iam contra os regulamentos aéreos. Em resposta, o piloto terá afirmado "morrer, morrer...".


- 09 de fevereiro de 1982: 

O piloto de um DC-8 da companhia Japan Airlines faz uma aterragem a pique perto de Tóquio e o aparelho acabou por cair. No acidente perdem a vida 24 pessoas. A investigação concluiu que o piloto sofreu uma crise suicida.

A tese de suicídio foi uma das muitas hipóteses referenciadas no recente caso do voo MH370 da companhia Malaysia Airlines, que desapareceu em março de 2014 sem deixar rasto com 239 pessoas a bordo. Os sistemas de comunicação do avião foram deliberadamente desativados e o aparelho mudou de rota.

Texto extraído de SIC Notícias