Jogo do Feliz...


A FAB publicou em seu site uma nota informando que o Esquadrão Poti iniciou as atividades com as novas unidade do AH-2 Sabre recebidas em Novembro passado. Parabéns ao esquadrão. O que faltou dizer é que esses helicópteros foram adquiridos em 2009 e que durantes anos ficamos aguardando a entrega do último lote, não por incompetência da FAB, mas, segundo o que se comenta pela internet é que demoramos para honrar nossos pagamentos.

Nesse intervalo de tempo, países como o Iraque que fecharam a compra anos depois que a nossa já receberam suas unidades e até já tiveram tempo para perder uma delas no conflito com o ISIS. Seria interessante perguntar ao Planalto por quais razões houve esse atraso? Outra pergunta que fica é, seria esse o modelo preferido pela FAB?

Enquanto isso, o Exército Brasileiro segue seu processo de estudo para aquisição de helicópteros de ataque, onde estão sendo analisados modelos como o Viper, o Mangusta e até o Tiger como recentemente publicado por sites especializados.

Será que a FAB estaria realmente tão feliz com o seu Sabre? Será que eles não gostariam de ver um helicóptero verdadeiramente de ataque em suas unidades? 

Isso me faz lembrar meus tempos de criança quando eu abria os presentes de aniversário e encontrava roupas no lugar de brinquedo. Nessas horas eu sorria, agradecia a pessoa e ficava feliz... 

Segue abaixo a matéria da FAB:

"FAB completa frota de 12 helicópteros de ataque

Dois meses após a chegada do quarto e último lote dos helicópteros AH-2 Sabre, o Esquadrão Poti iniciou as atividades aéreas com as novas aeronaves. Já foram realizados voos em formação com outros helicópteros nos céus da Amazônia ocidental a partir da Base Aérea de Porto Velho (BAPV).

Ao final de novembro de 2014, os três últimos AH-2 Sabre chegaram para finalizar a frota do esquadrão, conforme contrato firmado da compra de 12 helicópteros de ataque para Força Aérea Brasileira.

A aquisição proporciona à unidade plena capacidade para cumprir missões como defesa aérea, escolta de aeronaves e ataque ao solo.

Os helicópteros chegaram desmontados da Rússia transportados pela aeronave Antonov AN-124 e passaram por um processo de montagem e regulagem dos equipamentos realizados por equipes de manutenção russa e brasileira. Ao término do processo, o Instituto de Pesquisa e Ensaios em Voo (IPEV) realizou os voos para recebimento final."