Descobrimos o que aconteceu com o Malaysia


Aliens ou queda? Veja teorias sobre voo sumido da Malaysia

O desaparecimento do MH370 faz quase um ano sem resposta, porém, respostas diversas "pipocam" pela internet

Faz quase um ano que o voo MH370 da Malaysia Airlines desapareceu durante uma viagem de Kuala Lumpur para Pequim. Apesar da busca milionária em terra e mar realizada por uma equipe internacional liderada pela Austrália, nada foi descoberto até agora – e nem explicado. As informações são do The Mirror. 

Nenhum pedaço ao menos do Boeing 777 foi encontrado, nenhum sinal dos 239 a bordo.  A comissão de segurança de transporte australiana tenta descobrir o que realmente aconteceu durante o percurso e, enquanto isso, sem respostas, as teorias da conspiração continuam a circular.

Veja algumas que surgiram sobre o misterioso desaparecimento do avião no dia 8 de março do ano passado:

Direção à Antártica

A mais nova teoria sobre uma possível resposta sobre como o voo desapareceu defende que o avião pode ter se dirigido para a Antártica de forma deliberada. Segundo esta ideia, alguém dentro do cockpit desviou a rota para a região – já que exames revelaram que MH370 fez três mudanças de direção após a última transmissão por rádio. Primeiro, uma virada à esquerda, seguida de outras duas, e depois rumou para sul, em direção à Antártida.

A teoria foi revelada em um documentário da National Geographic que será transmitido em abril.

Avião atingido por operações militares

Segundo esta teoria, o avião da Malaysia teria sido acidentalmente atingido por operações militares americanas na Tailândia – como, por exemplo, durante um treinamento que teria terminado fatalmente mal.

O livro “Flight MH370: The Mistery” defende que treinamento de guerra simulam em terra, na água e no ar, e que incluem exercícios de tiro. E acrescenta: "Digamos que uma participante atirou acidentalmente contra o MH370. Essas coisas acontecem. Ninguém quer outra Lockerbie, então os envolvidos teriam todos os motivos para manter silêncio sobre o assunto”.

Premonição do Rapper

O rapper Pitbull teria previsto que o voo MH370 iria se perder dois anos atrás. Segundo uma teoria, uma canção de 2012 do músico chamada “Get It Started” e as circunstâncias do voo de março de 2014 coincidem.  

A letra diz “dois passaportes, três cidades, dois países, um dia”. Para os crentes da teoria, os dois passaportes fazem referência aos passaportes roubados que foram usados por passageiros iranianos, as duas cidades seriam Kuala Lumpur e Pequim, e os três países seriam Vietnã, China e Malásia.

A CIA sabe onde o avião está

O primeiro-ministro malaio, Mahatir Mohamad, entrou “na onda” dessa teoria que acusa a CIA de saber o que aconteceu com o avião. Segundo ele, que escreveu para um blog, no caso de o jato ter sido sequestrado, o controle da aeronave poderia ter sido ativado remotamente em outro lugar. “É evidente que a Boeing e certas agências têm a capacidade de assumir o controle de aviões comerciais e o MH370 B777 é um deles”, afirmou.

Ilha militar americana

A ideia é que o avião teria pousado numa ilha remota chamada Diego Garcia, onde estaria uma base militar americana. Por causa da teoria conspiratória, os Estados Unidos tiveram de negar oficialmente que teriam forçado a aeronave a para no local. “Não há evidências de que o MH370 voou para algum lugar próximo das ilhas Maldivas ou Diego Garcia. Não existe verdade nesta especulação”, afirmou o embaixador americano na Malásia.

Mistério sobre avião desaparecido da Malásia pode ser resolvido em breve, caso policial esteja falando a verdade

Sequestro afegão

Um jornal russo sugeriu que o avião teria pousado em terras do Afeganistão, onde os passageiros estariam sendo mantidos reféns. Segundo uma fonte militar à publicação, “os pilotos não são culpados; o avião foi sequestrado por terroristas desconhecidos e estaria no Afeganistão, próximo da fronteira com o Paquistão”.

Alguns crentes dessa teoria ainda afirmam que os passageiros teriam sido divididos em sete grupos e estariam vivendo em florestas, em casas de barro, sem condições básicas.

Escondido atrás de outro avião

No começo do mistério, algumas pessoas acreditaram que o avião poderia ter desaparecido dos radares por estar “escondido na sombra de algum outro avião”, o que teria atrapalhado a detecção.

Esta teoria foi descrita como possível, mas os aviões teriam que estar a uma distância de 3300 pés do outro.

Abdução alienígena

As redes sociais encheram a internet de comentários conspiratórios sobre a possibilidade de alguma nave extraterrestre ter abduzido a aeronave. Na época do sumiço, a hashtag #aliensmh370 bombou no Twitter.

Golpe do seguro de vida

O chefe da polícia da Malásia se recusou a descartar a possibilidade de o avião desaparecido não ter sofrido uma fraude elaborada de seguros. Segundo Khalid Abu Bakar, alguém presente no voo poderia ter um seguro de vida bastante “gordo” e queria garantir o dinheiro para a família, então, todos deveriam ser investigados.

Por causa dessa teoria, as autoridades examinam detalhes de cada passageiro para encontrar qualquer evidência de golpe.


Edward Snowden

Uma das teorias sobre o MH370 sugere que empregados de uma empresa de tecnologia baseada no Texas estariam presentes do voo e eles poderiam carregar informações importantes sobre espionagem na China – que comprovariam algumas revelações de Edward Snowden.

“Assim, esses caras viajam todos juntos em um só voo que desaparece, coincidência?”, escreveu um internauta.

Experiência de guerra eletrônica

Uma teoria sugere que o voo desapareceu como parte de um experimento – já que a aeronave possuía 20 funcionários de uma empresa de tecnologia (os mesmos citados na teoria acima). “É possível que o sumiço seja uma camuflagem, já que faz parte de uma guerra eletrônica que já existe”, defendeu um internauta.

Fogo

Uma das teorias mais amplamente aceitas é que teria acontecido um incêndio a bordo, que matou todos. Isso explicaria por que a aeronave, no piloto automático, voaria uma longa distância fora do curso.

Uma fonte da aviação disse que, se este fosse o caso, ele teria atingido a água “como uma pedra, caindo os 35 mil pés por cerca de 10-12 minutos depois de ter esgotado seu combustível. Atingindo a água com um enorme impacto - como se o avião tivesse aterrissado em concreto”. Ninguém poderia ter sobrevivido isso.

Suicida a bordo

Uma teoria apontou a possibilidade de o piloto do avião ter sido um responsável direto no desaparecimento da aeronave. Isso porque algumas evidências sugerem que o capitão Zaharie Ahmad Shah ou o copiloto Fariq Absul Hamid poderiam ter intenções suicidas.

Ainda dentro dessa possibilidade não descartada, a policia da Malásia tenta investigar se algum dos passageiros ou membros da tripulação tinha algum problema pessoal ou psicológico que poderia trazer luz ao mistério.

O chefe da polícia da Malásia disse em uma entrevista coletiva que “estava procurando por todas as possibilidades”.

Rachaduras na aeronave

Esta teoria se baseia na informação de que seis meses antes de o avião cair, teria havido um alerta a companhias aéreas sobre um problema com rachaduras no Boeing 777 que poderiam levar a uma ruptura ou uma queda catastrófica da pressão na aeronave.

A Administração da Aviação Federal americana emitiu um alerta em setembro do ano passado dando às companhias aéreas até o dia 9 de abril para detectar e corrigir fissuras na pele fuselagem em Boeing 777. A FAA advertiu que não fazer isso iria deixar a aeronave vulnerável a "uma descompressão rápida e perda de integridade estrutural".


Terroristas derrubaram o avião no mar

Nenhum grupo terrorista assumiu a responsabilidade por uma possível queda do avião, mas teorias conspiratórias sobre essa possibilidade não pararam de circular. Dois passageiros estariam usando passaportes roubados e, por isso, já viraram alvo para uma possível culpa envolvendo uma operação terrorista.

Um piloto chamado David Learmount defendeu em uma revista de aviação chamada Flight Global: “alguma coisa aconteceu e os pilotos não falaram para ninguém. Por quê? É uma boa questão”, questionou.  

Além disso, um e-mail misterioso foi encaminhado para jornalistas chineses dizendo “se você matar um de nossos, vamos matar 100 dos seus de volta”, mas oficiais malaios acreditam a mensagem, sugerindo responsabilidade na queda, seria apenas um trote.