Pesquise no Site

A queda do Avião da AirAsia


Post único sobre o acidente que esta sendo atualizado de acordo com a pertinência de novas informações

Atualização em 17/03/15 23:00

A Indonésia decidiu encerrar hoje (17) as buscas pelas vítimas do acidente com o avião da AirAsia, ocorrido em dezembro do ano passado, apesar de 56 corpos continuarem desaparecidos. (EBC). Foram recuperados 106 corpos dos 162 que estavam a bordo .

Entenda o Caso

Um Airbus A320-200 da AirAsia, com 155 passageiros a bordo mais a tripulação, que fazia a rota entre a Indonésia e Cingapura, sumiu do radar neste domingo (28), informaram o Ministério dos Transporte indonésio e a companhia aérea.

Segundo porta-voz do Ministério dos Transportes, a aeronave perdeu contato com o controle de tráfego aéreo de Jacarta às 6h17 (horário local, 20h17 de sábado, 27, no Brasil). 

De acordo com o Ministério dos Transportes, o voo QZ-8501 partiu do Aeroporto Internacional Juanda, em Surabaya (Java Oriental), às 5h20 (19h20 no Brasil), com previsão de pouso em Cingapura às 8h20 (22h30 no Brasil). O Airbus teria desaparecido 40 minutos após decolar... (G1)

De acordo com um porta-voz do Ministério de Transporte da Indonésia indicou que o piloto do avião, que voava a cerca de 32 mil pés de altura (9,76 quilômetros), pediu permissão para subir até os 38 mil (11,59 quilômetros) às 6h12.

Imagem do site FlightRadar para o voo QZ8501
A aeronave transportava 155 passageiros, incluindo 16 crianças e um bebê, e uma tripulação de dois pilotos, um mecânico e quatro comissários de bordo. A AirAsia informou que os passageiros eram 156 indonésios, três coreanos, um francês, um malaio e um cingapuriano.

De acordo com a CNN, o mau tempo pode ter sido um fator no desaparecimento do avião, pois havia linhas de tempestades muito pesados quando o avião estava voando, disse o meteorologista da rede.

As Buscas

Um Boeing da Força Aérea da Indonésia, três helicópteros e seis navios participam das operações de rastreamento, e Cingapura ajuda com outro avião, um C130. (EFE via Yahoo). Cingapura também se uniu à busca do avião disponibilizando dois C130s.

A Indonésia interrompeu as buscas porque havia anoitecido no país. A operação foi retomada na segunda-feira (domingo a noite no Brasil), afirmou a agência nacional de buscas e resgate. (G1). A última notícias que tivemos nesta segunda, dia 29/12 às 09:00 da manhã pelo horário de Brasília, era de que o avião ainda não havia sido encontrado. (G1). Pelas coordenadas do último contato, as autoridades acreditam que o avião esteja no fundo do mar (Euronews).

Um avião de reconhecimento Orion P australiano chegou a avistar na segunda-feira (29) um objeto no mar a cerca de 700 milhas da última posição conhecida porém mais tarde confirmou-se que não eram do avião.

Os primeiros resultados

De acordo com a Agencia Estado, a Indonésia confirmou na terça-feira, 30, que foram encontrados no Mar de Java destroços do Airbus 320-200 da AirAsia. O logotipo da companhia asiática foi identificado em alguns dos objetos localizados no mar. De acordo com a Reuters, equipes de resgate encontraram cerca de 40 corpos e vários objetos em alto-mar.

Segundo a Agencia Estado, um barco que participa das buscas pelo avião da AirAsia disse ter encontrado nesta quarta-feira, 31, o ponto exato onde está a aeronave no mar de Java. Autoridades informaram que os destroços estão a aproximadamente 3 km de onde foram encontrados os primeiros corpos, mas não precisaram se o avião se partiu ou está intacto.

A CBN disse que descoberta do local exato foi feita por equipamentos de sonares, mas as autoridades ainda não sabem informar se há outros pedaços da aeronave em outros pontos do mar.

A Agência Nacional de Busca e Resgate da Indonésia informou que seis corpos de passageiros do voo 8501, da AirAsia, foram resgatados do Mar de Java e disse ter encontrado um corpo que vestia um colete salva-vidas. As buscas estão sendo prejudicadas pelo mau tempo no local.

"Pensamos que estavam vivos e acenavam para pedir ajuda. Mas quando nos aproximamos, vimos que estavam mortos... Eram sete ou oito pessoas. Três delas estavam de mãos dadas." 

De acordo com o site DN, foi assim que o copiloto do Hércules C-130 da Força Aérea indonésia, tenente Tri Wobowo, descreveu ao jornal local Kompas o momento em que encontrou os primeiros corpos.

As caixas pretas

De acordo com a EFE, As equipes de resgate podem demorar até uma semana para recuperar as caixas-pretas do avião da AirAsia, disse nesta quinta-feira um especialista indonésio, devido às condições meteorológicas adversas.

Ele disse que ainda não foram detectados os sinais de localização da caixa preta. As equipes ainda não encontraram a parte principal do Airbus mas recuperaram destroços e sete corpos, sendo três mulheres e quatro homens,

A capacidade de emissão de sinais das caixas-pretas é de cerca de 30 dias e a potência de seu sinal não permite sua localização através de satélites. O tempo que demorará para encontrar o avião dependerá da acessibilidade da área do acidente, que neste caso é dificultada pelas fortes ondas e condições meteorológicas adversas.

No caso do acidente do Air France 447 demoraram 4 anos e no da Swiftair, apenas algumas horas. Os aviões também contam com um sistema ELT (Emergency Locator Transmitter), que são dispositivos de localização que emitem sua posição ao entrarem em contato com a água.

De acordo com a Euronews, o avião era pilotado pelo capitão Iriyanto, conhecido por ser um experimentado profissional com 23.000 horas de voo, 6.000 das quais a serviço da AirAsia.

Especialistas em navegação aérea citados por agências internacionais admitem que o piloto tenha conseguido uma amaragem de emergência (pouso na água), mas que o aparelho tenha submergido devido ao estado do mar.

Segundo o site português Noticias ao Minuto, o ministério dos Transportes indonésio declarou que o avião voava num horário não autorizado e que foi congelada a permissão para a companhia operar a rota que liga Surabaia a Singapura, até ficarem concluídas as investigações.

Na manhã do dia 04/01, já eram cinco os objetos encontrados, de acordo com informações da agência de notícias Reuters. Pequenos pedaços da aeronave e outros destroços também foram encontrados, mas não houve nenhum sinal de gravações de voo cruciais - as chamadas caixas-pretas que os investigadores esperam possam desvendar a sequência de eventos na cabine de comando durante os minutos finais do voo. O último balanço aponta que 34 corpos foram recuperados. UOL

De acordo com a mídia internacional, a agência de meteorologia da Indonésia afirmou que o clima no dia do acidente pode ter permitido a formação de gelo que poderiam danificar as turbinas do Airbus.

A agencia alemã DW informou que o principal foco das buscas fica a cerca de 90 milhas náuticas da costa da ilha de Bornéu, onde cinco grandes objetos foram localizados. O maior dos destroços tem cerca de 18 metros de comprimento. Segundo a AFP, a zona de buscas por vítimas seria ampliada

Na semana seguinte, o Ministério dos Transportes da Indonésia anunciou a suspensão de um número indeterminado de operadores aéreos enquanto são investigadas as causas do acidente, informou o site português Visão.

Segundo a equipe de resgate, os objetos encontrados estavam há 30 km do local onde as buscas começaram. Até agora não foi possível captar o sinal eletrônico que as caixas emitem por 30 dias depois de um acidente. (Jornal da Globo)

Mesmo assim, não dava para ter certeza se as caixas-pretas continuavam junto com a cauda ou se foram arremessadas após o impacto com a água. As autoridades exibiram as fotos tiradas no fundo do Mar de Java onde se via o logotipo da empresa.

No dia seguinte as equipes da agência de buscas e resgate da Indonésia acharam a cauda do airbus. A descoberta poderia ajudar a localizar as caixas-pretas, pois é na cauda que ficam os equipamentos que registram os dados de voo e também as conversas entre os pilotos na cabine.

Posteriormente o site G1 informou que as equipes de busca conseguiram retirar a cauda do avião acidentado através de aparelhos funcionavam como boias. Infelizmente constataram que as caixas-pretas não estavam lá.

De acordo com o Terra, mergulhadores indonésios encontraram, no domingo, a caixa preta do avião da AirAsia, no entanto, as caixas estavam presas sob os destroços da fuselagem do aparelho.

Equipes de mergulhadores conseguiram retirar do mar nesta segunda-feira (12) uma das caixas-pretas do avião da AirAsia (G1).  Horas mais tarde, os mergulhadores localizaram a segunda caixa preta que contém as gravações de voz da cabine. Ela estava a cerca de 20 metros de distância dos destroços de uma das asas do avião (Exame).

Equipes de resgate localizaram no dia 14/1 a parte principal da fuselagem do avião da AirAsia. Os especialistas acreditam que os corpos da maioria dos passageiros estão nesta parte do avião.

De acordo com a Euronews, serão utilizados balões flutuantes na tentativa de resgatar a fuselagem da aeronave que se encontra no fundo do Mar.

O ministro dos Transportes da Indonésia, Ignasius Jonan, afirmou nesta terça-feira (20/01) que o avião da AirAsia havia subido a uma velocidade excessiva e depois parou, antes de cair. Segundo ele, a velocidade era de 6 mil pés (1.800 metros) por minuto, quando o normal é entre mil e 2 mil pés por minuto.

A segunda tentativa de trazer à superfície a fuselagem do avião da AirAsia falhou no domingo dia 25/1. Esta parte da aeronave afundou novamente quando uma corda que ligava os destroços aos balões de ar se rompeu assim que a fuselagem foi erguida.

As Forças Armadas da Indonésia anunciaram no dia 27/01 a suspensão por “tempo indeterminado” da operação de resgate. O contra-almirante Widodo, porta-voz escolhido para dar a notícia, anunciou a retirada da equipe que nos últimos dias tentou sem sucesso recuperar do fundo do mar a fuselagem do Airbus 320, onde os especialistas acreditam que ficou presa a maior parte dos corpos que ainda não foram recuperados. (Veja)

A comissão da Indonésia que investiga as causas do acidente informou em que pouco antes da queda o avião tinha perfeitas condições de voo (G1 29/01). Citando duas fontes não identificadas "com conhecimento da investigação", a agência Bloomberg disse no dia 30/1 que os pilotos desligaram um computador de segurança de voo depois de tentarem resolver uma série de alertas que o computador denunciava (Expresso 30/01).

As autoridades indonésias encontraram o corpo do copiloto do avião (07/2). A equipe de resgate conseguiu identificar o corpo uma vez que ainda tinha o uniforme e estava preso ao assento (A Bola).

Coincidência

Em 8 de março desse ano o voo 370 da Malaysia Airlines também sumiu do radar sobre o Sudeste da Ásia. Outra infeliz coincidência é que a AirAsia também é um companhia da Malásia. Se confirmada a queda, 2014 encerra com sendo o pior ano da aviação comercial dos últimos tempos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...