Pesquise no Site

Depois da porta arrombada...


A Força Aérea Brasileira (FAB) suspendeu “imediatamente” a execução dos contratos que mantinha com a empresa Dallas Airmotive, que admitiu à Justiça dos Estados Unidos ter subornado militares do órgão, até o esclarecimento do caso. 

Por meio de nota, a FAB também informou ter aberto inquérito policial militar para investigar o envolvimento dos acusados e que pode rescindir os acordos com a empresa. O órgão não soube informar, entretanto, quantos contratos mantém com a companhia norte-americana. 

Além da FAB, o documento da Justiça americana aponta o pagamento de propina a um integrante do gabinete do ex-governador José de Anchieta Júnior (PSDB). O tucano informou que apurará a questão.

Antes de anunciar a suspensão dos contratos, a FAB havia informado que punirá os acusados – um sargento e um suboficial ainda não identificados –, caso as denúncias se comprovem , além de outras medidas contra a empresa. 

“Se as acusações forem comprovadas, a FAB vai rescindir os contratos, com base no artigo 79, inciso XII da Lei 8666/93, buscando inclusive o ressarcimento cabível”, informa a nota. 

O caso veio à tona nesta semana quando o Departamento de Justiça Americano publicou comunicado no qual denuncia e informa que a Dallas pagará US$ 14 milhões de sanção penal por violar a lei que coíbe a prática de corrupção no exterior, como pagamento de funcionários para manutenção de contrato. 

Segundo reportagem do periódico Wall Street Journal, a empresa admitiu ter subornado a FAB, o governo de Roraima e uma outra companhia estrangeira de 2008 .

Segundo o comunicado norte-americano, o pagamento era feito de diferentes formas por representantes da Dallas que faziam negócios com a América Latina. Acordos com empresas de fachada, pagamento a terceiros e o oferecimento de presentes, como viagens, eram maneiras de fazer o suborno. 

O processo ainda mostra trechos de e-mails que dariam indícios das irregularidades. A Dallas tem sede nos Estados Unidos e uma filial no Brasil. A sede da empresa não respondeu à solicitação da reportagem.

A assessoria do ex-governador Anchieta informou que a Dallas foi contratada depois de vencer licitação de concorrência pública de alcance internacional. A companhia faria a manutenção das turbinas da aeronave Lear Jet 55. 

Diante das acusações, a assessoria diz que o governador defende punições caso sejam comprovadas as denúncias e que vai apurar a denúncia. Já o governo de Roraima informou que não mantém contrato com a empresa e que não pode “responder por atos e contratos praticados em gestões passadas”. O Ministério Público Militar afirmou que está acompanhando o caso.

EM

Nota: Não ficou claro para quais aeronaves a empresa americana prestou manutenção na FAB. Segundo o site da mesma, eles trabalham com motores Pratt & Whitney, Honeywell e Rolls-Royce, o que incluiria uma enorme variedade de equipamentos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...