Pesquise no Site

Ameaçados de extinção


O site Flight Global consultou sua base de dados e fez uma lista das 10 aeronaves mais raras ainda em operação pelo mundo. Começando com o Grumman F-14A (foto acima). Apesar dos embargo americano, o Irã ainda opera 24 unidades dessa máquina, juntamente com 42 Phantoms F-4 e 25 Northrop F-5E. 



Rockwell OV-10

Ainda é empregado pelas Forças Aéreas da Colômbia, Filipinas e Venezuela (foto), que voam sete, oito e cinco exemplares, respectivamente. Também são operados pelo Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos em uma versão modernizada, e três são de propriedade da NASA .


Boeing 727

Ainda em uso na Força Aérea Afegã, na Colômbia (foto), na República Democrática do Congo, Equador e México.


SC.7 Skyvan

É um dos tipos mais raros de uso militar, com apenas dois operadores: A Força de Defesa da Guiana e a Real Força Aérea de Oman que usa três exemplares de uma variante de patrulha marítima apelidado de "Seavan" (foto). 


T-2 Buckeye

Voou pela primeira vez em janeiro de 1958, o treinador norte-americano T-2 foi desenvolvido para a Marinha dos EUA, que o operou até 2008. Hoje somente a Força Aérea Grega (foto) tem uma frota de 40 exemplares das variantes C e E entregues em 1977.


Scottish Aviation Bulldog

Ainda em uso militar pelo Quênia e Líbano e pelas Forças Armadas de Malta (foto).


Dornier 28

Em uso por Angola, Zâmbia (foto), com um e cinco exemplares, respectivamente. A Nigéria também voa 11 da versão Dornier 128.


EMB-326/Impala

Produzido sob licença pela Brasil, o nosso velho Xavante ainda esta em uso pelo Togo com seis EMB-326. Camarões (foto) conta com cinco Impalas, uma versão sul-africana do Xavante com capacidade de ataque, adquirida após sua aposentadoria no país de origem.


Hawker Hunter

Aparentemente em uso pela Força Aérea Libanesa, que possuí três exemplares de assento único e um treinador.


Cheetah

O Cheetah, assim como o Kfir, é uma versão derivada do Dassault Mirage III, produzido pela Africa do Sul. Seu desenvolvimento também é fruto de um embargo de armas, porém, diferente do Kfir israelense, ele não teve a motorização modificada. Apesar de ter sido aposentado na Africa, ainda é utilizado pelo Equador como principal aeronave de combate

Observação: A Colômbia aparece como usuária de duas das aeronaves citadas na lista da Flight Global. Se levarmos em consideração que sua principal linha de defesa é composta por caças Kfir, um parente distante do Cheetah, que também foi citado, então, podemos dizer que os Colombianos utilizam praticamente "três aves raras em processo de extinção". Pelo visto, a parceria com os americanos não se traduz em uma Força Aérea moderna. 










Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...