Ceará: Só um aeroporto em operação no interior


Enquanto o Aeroporto Dragão do Mar, em Aracati, aguarda o desfecho das negociações com empresas aéreas para operar voos comerciais, o de Juazeiro do Norte, Orlando Bezerra de Menezes, já supera em 20% o fluxo de passageiros no primeiros semestre deste ano em comparação com o ano passado. Atualmente, somente o aeroporto do Cariri, um dos 15 existentes no Estado, atende à demanda de voos do Interior. O Governo Federal destinou R$ 363 milhões para serem investidos em nove aeroportos do interior.

O Ceará possui 15 aeroportos no Interior do Estado, sendo o Orlando Bezerra de Menezes administrado pela Infraero e o único do Interior a operar voos comerciais. Os demais, localizados nos municípios de Aracati, Camocim, Campos Sales, Canindé, Crateús, Iguatu, Itapipoca, Jericoacoara, Limoeiro do Norte, Quixadá, Russas, São Benedito, Sobral e Tauá, são de responsabilidade do Departamento Estadual de Rodovias (DER). A atual estrutura só atende a voos particulares e fretados, de pequeno e médio porte.

Investimentos

Nove deles - Juazeiro do Norte, Itapipoca, Canindé, Aracati, Quixadá, Jericoacoara, Iguatu, Crateús e Sobral - estão previstos dentro do Programa de Investimento Logístico (PIL) - Aeroportos, do Governo Federal, que prevê reforma, ampliação e construção, conforme o caso, para atender à demanda para voos comerciais regionais. Serão investidos R$ 363 milhões no aeródromos do Estado. O processo se encontra em fase de estudos, para depois seguir para licitação.

Pronto

O Aeroporto Dragão do Mar está pronto. Inaugurado em 2012 e homologado em maio deste ano pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), já está autorizado a receber voos comerciais. Ainda não há uma previsão de quando poderá iniciar essas operações, já que isso depende do resultado das negociações com empresas aéreas. A informação foi passada pelo titular da Secretaria de Turismo do Ceará, Bismarck Maia, no fim de agosto, durante a solenidade de inauguração da unidade Senai, em Aracati, que capacitará mão de obra especializada para mecânica de aeronaves. Porém, ele deixou claro que as negociações deverão avançar até o fim desde ano.

Durante a Copa, o aeroporto também conseguiu liberação da Agência para dar suporte ao aeroporto Internacional Pinto Martins, caso houvesse necessidade de mudar a rota de algum voo, bem como ser utilizado para o estacionamento de aeronaves. Recentemente, o Dragão do Mar recebeu o hangar e o centro técnico da TAM Linhas Aéreas. Para Bismarck, "será um marco econômico e vai gerar grande impacto cultural, social e econômico para a região, a partir do grande número de pessoas que irão conviver na cidade, sejam técnicos, proprietários de aviões, comandantes, pilotos etc.".

O Aeroporto de Jericoacoara também possui estrutura para operar com voos comerciais. A pista tem 2,2 mil metros de comprimento por 45 de largura, o que permite o pouso e decolagem de aeronaves de grande porte, como o Boeing 767-300. Somadas a isso, estão previstas áreas para alfândega, Polícia Federal e um hangar, o que significa que o aeroporto vai receber voos internacionais diretos, sem a necessidade de conexão no Pinto Martins. Atualmente, ele encontra-se em processo de homologação pela Anac, com previsão até dezembro deste ano. O Terminal de Passageiros e a Seção Contra Incêndio encontram-se em fase de construção.

Em Sobral, será construído um novo sítio aeroportuário, segundo informou o DER, com pista de pouso e decolagem de 2.200m x 45m, para aeronaves de grande porte. Esses três aeroportos comportarão voos comerciais, fortalecendo o turismo e a economia do Estado.

Grande Porte

A pista do Aeroporto de Juazeiro do Norte receberá adequação para operar com aviões de grande porte, com até 280 passageiros. A informação foi dada pelo o ministro da Aviação Civil, Moreira Franco, durante inspeção das obras dos Módulos Operacionais Provisórios (MOPs), no último dia 26 de setembro. 

As obras em andamento, que receberam investimentos de R$ 2,1 milhões, devem dobrar a capacidade do Terminal, passando dos atuais 400 mil passageiros por ano para 800 mil. A área total será de 1.050 metros quadrados, incluindo 600 metros quadrados para área de embarque e 450 metros quadrados para o desembarque. Mais de 177 mil pessoas circularam pelo terminal só no primeiro semestre deste ano, sendo 20% a mais que os meses correspondentes do ano passado.

Em julho passado o Diário do Nordeste publicou reportagem sobre estudos de viabilidade concluídos pelo governo federal do Plano de Aviação Regional. Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Aviação Civil (SAC), além de Jericoacoara, Iguatu e Crateús, o Aeroporto de Quixadá também estava com os estudos prontos. À época, estavam sendo realizados os projetos preliminares destes aeroportos, que definirão os aspectos da obra, para que sejam então levados à licitação.

Até então as obras não foram iniciadas. Em Quixadá, por exemplo, a infraestrutura está em condição regular para pousos e decolagens, mas os voos, todos particulares, são registrados apenas durante o dia. O aeroporto não possui rádio para comunicação com as aeronaves. O contato é feito por meio de ligação telefônica, pelo celular. Mesmo assim, em média 20 aeronaves, a maioria do modelo King Air B200 e L90, pousam e decolam de Quixadá mensalmente.

Site Miséria