Pesquise no Site

Diversificar para sobreviver


Diversificar, buscando novos mercados para não ficar na dependência só do setor automotivo, que neste ano vive forte retração nas vendas e na produção em relação aos números de 2013. Esse é o foco de muitos dos 550 empresários que participaram ontem da conferência ‘Comando da Aeronáutica apresenta seus projetos e demandas às empresas do Grande ABC’, em São Bernardo.

Durante o evento, representantes da FAB (Força Aérea Brasileira) apresentaram as principais necessidades da corporação em relação a produtos e serviços e também comentaram sobre novos projetos. Entre os segmentos que são alvos de compras dos militares estão desde a área têxtil (por exemplo, fardamentos); combustíveis; viaturas e motores; pneus de aviação; produtos químicos e tintas; material bélico, sistemas de informática para veículos, lançadores, satélites e simuladores de voo; tanques de combustíveis; trens de pouso; até equipamentos e insumos médico-hospitalares.

Em relação aos projetos, o brigadeiro José Augusto Crepaldi comentou, entre outros temas, sobre a compra de caças Gripen NG, da Saab, que terá fábrica em São Bernardo, em parceria com a Inbra Blindados, de Mauá. A unidade fabril vai produzir estruturas metálicas dessas aeronaves, que deverão ser fornecidos à FAB em 2018. “Estamos buscando isso (a substituição da frota de caças) desde 1995”, disse.

Presente ao encontro, o empresário Norberto Perrela, coordenador do APL (Arranjo Produtivo Local) do setor metalmecânico do Grande ABC, que reúne cerca de 30 indústrias do ramo, afirmou que a intenção é explorar nicho não conhecido por boa parte desse grupo. “Aquilo em que a região sempre foi forte (a área automotiva) está em situação difícil, por isso, queremos diversificar.”

O pequeno empresário Orlando Galdino da Silva, diretor da Ariston, de Diadema, também buscava oportunidades em nova área. Sua fábrica produz poliuretano (material para a produção de itens de vedação) e adesivos (colas) que, segundo ele, também tem aplicação no setor aeroespacial. “Já fornecemos para a área automotiva”, destaca.

Integrante da coordenação do APL da indústria da Defesa do Grande ABC, o secretário de Desenvolvimento Econômico de São Bernardo, Jefferson da Conceição, assinala que o encontro foi mais uma etapa da aproximação com as Forças Armadas, para o desenvolvimento da cadeia de fornecedores na região, depois do primeiro evento desse tipo (em dezembro de 2012), com a Marinha, e em julho de 2013, com o Exército.

Ele acrescenta que, em setembro, deverá estar disponível, na Sala do Empreendedor (no andar térreo do paço municipal), serviço gratuito de orientação para empresas do Grande ABC que queiram catalogar seus produtos e serviços junto às Forças Armadas.

Além disso, no site do APL (www.industriadefesaabc.com.br), em breve, deverá haver informações sobre novos editais relacionados a compras das corporações, para possibilitar maior acesso dos empresários dos sete municípios às licitações. 


Nota: Tendo como plataforma eleitoral a criação de um Polo Industrial de Defesa, o prefeito Luiz Marinho continua suas articulações para que a região do ABC seja um protagonista neste setor. Ele já coleciona vitórias, como a decisão pela compra do Gripen. Pelo visto ele quer mais. Seria um futuro candidato ao Governo de SP?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...