Pesquise no Site

Luto no futebol (atualizado)


Um helicóptero caiu na madrugada deste sábado (7) em Aruanã, a cerca de 315 km de Goiânia, matando os cinco ocupantes. Segundo a Polícia Civil, entre as vítimas está o ex-atacante Fernando Lúcio da Costa, de 36 anos, conhecido como Fernandão, ídolo do Goiás e do Internacional. Ele chegou a ser socorrido com vida, mas morreu a caminho do hospital.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, Fernandão estava com mais quatro pessoas em um acampamento às margens do Rio Araguaia, a cerca de 12 km do Centro de Aruanã, onde ele tinha uma fazenda.

Ex-jogador Fernandão morre em queda de helicóptero em Goiás
Também morreu no acidente Antônio de Pádua, conhecido como Bidó, primo do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSBD). As outras três vítimas são Edmilson de Sousa Lemes, cabo da PM e presidente da Câmara Municipal de Palmeiras de Goiás, Milton Ananias, coronel aposentado da Polícia Militar e quem pilotava a aeronave e Lindomar Mendes Vieira, funcionário da fazenda.


O corpo do jogador foi levado do Hospital Municipal de Aruanã para o IML de Cidade de Goiás, por volta das 11h.

O sargento Cristiano Oliveira, do Corpo de Bombeiros de Aruanã, que participou da operação de resgate, informou ao G1 que o grupo seguia para o Centro da cidade, mas o  helicóptero caiu logo após a decolagem, por volta das 1h30, em uma faixa de areia do Rio Araguaia. "A queda ocorreu segundos depois, tanto que a aeronave estava a cerca de 300 metros do local da decolagem", afirmou.

Ainda conforme o sargento, ao chegar ao local, apenas Fernandão ainda tinha sinais vitais. Ele foi levado em uma embarcação para um hospital de Aruanã, mas morreu no meio do caminho. "Fizemos a reanimação dele, mas, infelizmente, ele não resistiu. Sofreu múltiplas fraturas", disse.

Por volta das 9h40, o corpo de Fernandão permanecia no Hospital Municipal de Aruanã. Ele será levado para o Instituto Médico Legal (IML).

O helicóptero não chegou a explodir, mas ficou totalmente destruído. O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) já foi acionado para investigar as causas do acidente.

Atualizações do G1

O helicóptero que caiu na madrugada deste sábado (7) em Aruanã, a 315 km de Goiânia, e que matou o ex-jogador Fernando Lúcio da Costa, de 36 anos, conhecido como Fernandão, está registrado no nome da empresa Planalto Indústria Mecânica Ltda, da qual ele era sócio. Além dele, mais quatro pessoas também morreram no acidente.

De acordo com informações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave Esquilo, prefixo PT-YJJ, estava com a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia e válida até fevereiro de 2015. Já o Certificado de Aeronavegabilidade venceria em fevereiro de 2019. As informações constam no site da agência.

O G1 entrou em contato com a Planalto, que é especializada na fabricação de equipamentos para coleta e transporte de resíduos, e um funcionário confirmou que a aeronave pertence à indústria. No entanto, os outros sócios não foram encontrados para comentar o assunto, pois seguiram para Aruanã.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) foi acionado para investigar as causas do acidente. O G1 tentou contato com a assessoria de imprensa do órgão, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta reportagem. Já a Anac informou que aguarda os relatórios do Cenipa para se pronunciar oficialmente sobre o acidente.

Em nota, a Fênix Manutenção e Recuperação de Aeronaves Ltda, responsável pelas inspeções da aeronave, informou que as manutenções no helicóptero eram feitas “regularmente” e “de acordo com as exigências contidas no manual do fabricante e na legislação vigente”. A Fênix ressaltou, ainda, que colabora com o Cenipa no fornecimento de informações.

O acidente também será apurado pela Polícia Civil. “Estamos investigando as mortes, que são a esclarecer, tendo em vista que precisamos saber as circunstâncias em que o helicóptero caiu. Vamos aguardar os laudos do Cenipa e da Polícia Técnico-Científica”, informou a delegada Bruna Coelho.

Nota do governador

Em nota, a assessoria de imprensa do governador Marconi Perillo lamentou a tragédia e informou que Fernandão, Edmilson e Milton eram amigos muito próximos do governador. Segundo o comunicado, o governador definiu ainda a relação com Antônio de Pádua como "mais do que a de um primo, mas a de um irmão".
Nas palavras do governador, conforme a nota, "as perdas são irreparáveis e não há palavras para expressar a dimensão da tragédia, que vitimou tantas pessoas queridas de nossos círculos familiares e de amizade e também da população de Goiás. "Temos a plena certeza de que Deus guiará a todos na plena paz espiritual, reforçada pelas nossas orações".

Carreira

Fernandão nasceu em Goiânia e iniciou a carreira nas categorias de base do Goiás Esporte Clube. Entre os anos de 1995 e 2001, conquistou cinco campeonatos estaduais, duas Copas Centro-Oeste e um Brasileiro na Série B, sempre na posição de meia.

Depois, seguiu para a Europa, onde jogou pelo Olympique de Marselha e Toulouse, na França, quando passou a atuar como atacante. Ele também jogou no Al-Gharafa, do Catar. Em 10 de julho de 2004, ele estreou com a camisa do Internacional em uma partida contra o Grêmio, quando foi o responsável pelo milésimo gol da história do clássico GreNal.

Ele se aposentou em 2011, quando estava no São Paulo. Passou, então, a participar da diretoria do Internacional e, mais tarde, assumiu o posto de treinador do clube. Agora, atuava como comentarista no Sportv. G1

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...