Pesquise no Site

Lembra da ameaça de bomba Bauru?


A Polícia Federal de Bauru, no interior de São Paulo, indiciou um funcionário do aeroporto Moussa Tobias, também conhecido como Bauru-Arealva, por crime de atentado contra a segurança de transporte aéreo, cuja pena chega a cinco anos de reclusão. A informação foi divulgada pela PF na noite desta sexta-feira.

O homem de 27 anos, que não teve o nome divulgado, é acusado de ter escrito um bilhete indicando que haveria um artefato explosivo no interior de uma aeronave da companhia aérea Azul, que realizava o voo ADD-4417, da linha Campinas/Marília, com escala em Bauru. O caso aconteceu no dia 27 de maio. A falsa ameaça de bomba foi encontrada por outro funcionário dentro do banheiro masculino do aeroporto.“Tem uma bomba no avião da Azul #nãovaitercopa”, dizia o bilhete impresso por computador.

De acordo com o delegado federal Almir Papassoni, o autor do bilhete alegou que se tratava de uma brincadeira. O delegado explica que o relatório final ainda não foi apresentado à Justiça Federal, mas todo o conjunto de provas e perícias técnicas já produzidas foram suficientes para que fosse realizado o indiciamento do acusado. Após a apresentação do relatório final, o inquérito será encaminhado para a Justiça Federal.

O documento com a frase ameaçadora que gerou toda a mobilização no aeroporto Bauru-Arealva, foi apreendido pela Polícia Federal, passou por perícia e foi anexado ao inquérito instaurado para apurar o caso. A PF não divulgou imagens do bilhete.

Cerca de 50 passageiros estavam na aeronave que, 10 minutos após decolar de Bauru rumo a Marília, o piloto foi orientado a retornar ao aeroporto Moussa Tobia por questões de segurança. Ao retornarem, os passageiros foram levados até uma sala de desembarque até a chegada da polícia. 

Equipes das polícias Militar e Federal foram mobilizadas e vasculharam a aeronave e o terminal por cerca de três horas, mas nada foi encontrado. Mesmo assim os passageiros seguiram viagem em ônibus fretado pela companhia aérea e a aeronave retornou para Campinas levando apenas funcionários.

Ameaça no exterior

Em janeiro deste ano o estudante brasileiro Francisco Fernando Cruz, 23 anos, morador de Sorocaba, também no interior de São Paulo, foi preso em Miami, Estados Unidos, por suspeita de enviar e-mails ao Departamento de Polícia de Miami (MDPD) e à TAM Linhas Aéreas com ameaças de bomba em uma aeronave da companhia. O avião partiria de Miami com destino à Brasília.

As mensagens foram rastreadas e levou os policiais à Universidade de Nova Jersey, onde o rapaz estudava. Ele alegou que o alerta não passava de uma brincadeira para testar a segurança do voo, mas a Justiça americana entendeu que houve perturbação da segurança pública e o condenou, em maio, a 12 meses e um dia de prisão. Atualmente ele cumpre pena em um centro de detenção na Geórgia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...