Pesquise no Site

U2: Sempre envolvido em confusão


Um avião espião do tempo da Guerra Fria U-2, causou um problema grave nos sistemas de controle de tráfego aéreo na Califórnia, EUA, que forçou o atraso e cancelamento de centenas de voos por todo o país.

A história, divulgada pela NBC, começa com a entrada da aeronave no espaço aéreo de Los Angeles, na quarta-feira (30/4) por volta das 14 horas. O avião conhecido por ser usado para sobrevoar a Rússia há 50 anos atrás, entrou na zona do centro de controle de Palmdale, que gerencia os pousos e decolagens nos principais aeroportos da região, incluindo os aeroportos internacionais de Los Angeles, San Diego e Las vegas.

Os computadores do centro de controle estão programados para manter as distâncias entre os aviões no seu espaço aéreo e evitar riscos de colisão. O U-2 voava a uma altitude de 60 mil pés (cerca de 18 mil metros) mas os computadores tentavam evitar a sua colisão com outras aeronaves que estavam na realidade muito abaixo disso.

As fontes citadas pela NBC dizem não serem ainda conhecidas as causas exatas do problema mas aparentemente a altitude e a rota do avião espião causou uma sobrecarga do sistema informático, denominado ERAM, que gera os dados de visualização para os controladores aéreos. Os sistemas de suporte também terão falhado.

Na sequência do problema, a Administração Federal de Aviação (FAA) decidiu fechar o espaço aéreo gerenciado por aquele centro de controle, divulgando uma ordem nacional para manter todos os aviões em terra, o que ocorreu durante uma hora e afetou milhares de passageiros.

Só no Aeroporto Internacional de Los Angeles, um dos mais movimentados dos EUA, foram canceladas 27 chegadas, atrasados 212 voos e foram redirecionados 27 voos para outros aeroportos. Vinte e três partidas foram canceladas e 216 foram atrasadas. Foram também registados atrasos nos aeroportos de Burbank, Long Beach, Ontário, Orange County e outros aeroportos da região do Sudoeste dos EUA.

De acordo com a NBC, o avião U-2 tinha um plano de voo estabelecido pelo Departamento de Defesa. A cerca de 50 quilômetros da região fica a base aérea de Edwards, um dos locais conhecido por receber esses aviões.

Estas aeronaves ainda são utilizadas pela Força Aérea dos Estados Unidos, existindo planos para a sua retirada de serviços em poucos anos. Construídos há mais de meio século, os U-2 foram um dos principais instrumentos de vigilância aérea dos Estados Unidos.

Em 1960, ficou conhecido o caso do piloto Francis Gary Powers que pilotava um U-2 a serviço da CIA e que foi abatido quando sobrevoava a União Soviética. Foi mantido na prisão durante dois anos antes de ser trocado por um coronel do KGB (os serviços seceretos da União Soviética) que tinha sido detidos pelos Estados Unidos. Um segundo U-2 foi abatido em 1962 quando sobrevoava Cuba. O piloto não sobreviveu.

Adaptado do site português Jornal de Notícias

Nota: Dias depois dessa matéria o site Terra esclarecia que o problema foi causado por falta de memória nos computadores dos centros de controle
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...