Pesquise no Site

Na hora do aperto eles chamam a FAB


Governo quer ajuda da FAB para buscar haitianos retidos no AC

Entre as consequências do alagamento de trechos da BR-364, que liga o Acre ao resto do país, em decorrência da cheia do Rio Madeira, em Rondônia, está a retenção de imigrantes haitianos em Brasiléia (AC), distante 237 km de Rio Branco. Nesta sexta-feira (14), 2 mil imigrantes estão no município, 1.500 deles vivendo no abrigo montado pela prefeitura e os demais em hotéis. O governo do Acre busca na Força Aérea Brasileira (FAB) uma alternativa para resolver a situação.

"O governo está tentando dialogar com a FAB para a gente ver se tira 800 imigrantes de Brasileia", explica o representante da Secretaria Estadual de Direitos Humanos do Acre em Brasiléia, Damião Borges. "Os aviões estão vindo deixar mercadoria em Rio Branco, a ideia seria que na volta eles levassem esses imigrantes para deixar em Porto Velho, de onde  seguiriam viagem", explica.

A Força Aérea Brasileira (FAB) está dando suporte ao transporte de produtos entre Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC) neste mês de março, com as restrições de tráfego via terrestre. Com a BR tomada pelas águas, ônibus, carros de passeios e caminhões de pequeno porte estão impedidos de passar pela estrada.

De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Antônio Torres, essa possibilidade de  transporte está sendo estudada e dialogada com a FAB . "Temos essa negociação com a FAB, com as empresas e estamos organizando esse curso, como é que vai se dar, ou não. Estamos dialogando também com a Polícia Federal, a equipe do aeroporto de Rio Branco e a Anvisa, e agora à tarde conseguimos finalizar com as informações", garantiu.

Em média, 50 imigrantes continuam a chegar diariamente no abrigo. Alguns, que possuem melhores condições financeiras, se hospedam em hotéis. A maior parte deles, dividem o abrigo municipal. Dos que estão no acampamento, 98% possuem  toda a documentação em mãos para partirem em busca de emprego e familiares em outras partes do Brasil.

"Eles já estão com o visto válido por 6 meses. Em dias normais, deveriam sair em um grupo de 30 pessoas, em média, por dia. O problema é que o abrigo está congestionado, uma vez que as empresas  de outros estados, que oferecem trabalho ao imigrantes e viriam ao Acre para buscá-los não estão podendo vir, com o fechamento da BR", comenta Borges.

O nível do Rio Madeira está em 19,10 metros, segundo aferição feita às 9h desta sexta-feira (14). De acordo com inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Nélis Newton a situação na BR segue inalterada. "A situação continua sem alteração, somente caminhões de grande porte são liberados durante o dia e a via é interditada na parte da noite", afirmou. 



FAB transporta mais 60 cilindros de oxigênio para o Huerb

A Força Aérea Brasileira (FAB) transportou, na noite desta quinta-feira, 13, mais 60 cilindros de oxigênio (4,5 toneladas) para o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb). Ao todo, 500 cilindros (37,5 toneladas) começaram a ser transportados de Porto Velho (RO) para a capital acreana, pela FAB e Exército Brasileiro, desde a última quarta-feira, 12.

Governo do Estado, FAB, Exército e empresa fornecedora estão unidos em uma força tarefa para garantir o abastecimento de oxigênio no Huerb – hospital público com maior consumo de oxigênio do estado.

A previsão é de que caminhões do Exército também façam o transporte pela BR 364, no trecho alagado da rodovia, no território rondoniense. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), não há indicativos de paralisação dos serviços estaduais de saúde por causa de abastecimento das unidades. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...