Pesquise no Site

Nossos bombeiros do campo


Aviões da empresa Tucano Aviação Agrícola, de Primavera do Leste/MT, e da Força Aérea Brasileira (FAB) participam das operações de combate a incêndios florestais no Chile. No caso da Tucano, a empresa foi contratada pela Corporação NacionalFlorestal(Conaf), vinculada ao Ministério da Agricultura chileno. Ela deslocou ao país andino um Air Tractor AT-802 (nas fotos em demonstrações no Congresso Sindag de 2013), com capacidade para 3,1 mil litros no hopper. Já a FAB foi para lá depois de um pedido da embaixada chilena ao Ministério das Relações Exteriores do Brasil. Foram duas aeronaves C-130 Hércules do Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT), do Rio de Janeiro.

Conforme o sócio-gerente da Tucano e presidente do Sindag, Nelson Antônio Paim, ele está operando ao lado de outro AT-802 da Argentina e mais dois helicópteros de outras empresas, fora as equipes de terra. “Estamos voando quase todos os dias. Mas agora os focos são pequenos e localizados próximos a cidades e moradias”, assinala Paim. “Assim que uma fumaça é detectada, o sistema é acionado.” O plantão é de 12 horas diárias e cada avião fica em uma região.

TEMPORADA TRABALHOSA

A temporada de incêndios na área central do Chile está sendo especialmente trabalhosa neste verão. Desde o início da estação, foram queimadas nove vezes mais áreas do que na temporada passada, com 66% mais focos de incêndio e pelo menos um brigadista morreu em ação no combate às chamas. Em janeiro, o presidente Sebastián Piñera chegou a decretar alerta sanitário em quatro regiões, incluindo a área da capital, Santiago. Isso por causa dos altos índices de poluição provocados pela fumaça.

Na primeira quinzena do ano, o Conaf anunciou o pedido de cooperação internacional para combater a onda de incêndios florestais na região central. "Estamos empregando todos os recursos que temos em nossa região, além de todos os recursos extras que forneceram as autoridades chilenas e todo apoio extra com o qual o Chile puder contar", disse Luis Carrasco, diretor regional Conaf.

Segundo autoridades chilenas, o cenário de catástrofe é alimentado pelas altas temperaturas, associada a uma seca que já se prolonga por seis anos na região central do país. Além da ação humana, já que a falta de cuidado em alguns pontos tem sido o estopim para as chamas.

SINDAG

Nota: Somente hoje, dia 03/Março fiquei sabendo de um pouso forçado com uma dessas aeronaves. O Air Tractor AT-802, matrícula PR-TAF, estava a caminho de um incêndio em San Pedro, Concepción quando sofreu sofreu problemas no motor, após alijar a carga d'água fez um pouso de emergência em um pântano em Hualpén.  O piloto saiu ileso. IFR on line


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...