Pesquise no Site

Aeronave dos rasantes já voltou para Palmas


O monomotor que fez voos rasantes em várias praias de João Pessoa e Cabedelo no último domingo (12) deixou a Paraíba na tarde desta terça-feira (14) e retornou para Palmas, capital do Tocantins, cidade de onde partiu. O responsável pela aeronave, no entanto, permanece em João Pessoa para prestar esclarecimentos, caso seja necessário.

“Entregamos todas as documentações e equipamentos do avião para que polícia possa fazer a investigação. Eu ficarei aqui até que as investigações se deem por encerradas e que a Justiça possa tecer um parecer sobre o caso”, disse Juvenal Kloyber.

A Polícia Federal já iniciou investigação sobre os rasantes que teriam chegado a cerca de dois metros de altura, pelo menos 298 metros abaixo da altura mínima estipulada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). No domingo, banhistas filmaram o monomotor modelo PA-28R nas praias do Bessa, Manaíra, Tambaú e Cabo Branco, em João Pessoa, e também em Cabedelo, na praia de Camboinha.

Kloyber ainda falou sobre a atitude do piloto. “Ele trabalha comigo já há uns três anos, jamais teve qualquer atitude parecida com relação ao que aconteceu aqui no domingo, que eu fiquei sabendo. Me estranhou muito, mas infelizmente aconteceu. O que a gente tem que pedir e desculpa ao povo de João Pessoa e da Paraíba pelo ocorrido”, declarou.

Entenda o caso

Os sobrevoos de um monomotor a baixa altitude, realizados nesse domingo (12), colocaram em situação de perigo banhistas de praias, que filmaram a passagem da aeronave em várias praias da Grande João Pessoa. A Polícia Federal explicou que as filmagens serão usados no inquérito de investigação do caso. Para isso, as pessoas que tiverem feito imagens desses momentos podem encaminhá-las à Superintendência do órgão. O plano de voo do avião também vai ser solicitado à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O diretor do Aeroclube de João Pessoa, Jedaías Nunes, confirmou que a aeronave decolou da pista do local com autorização da Anac. Segundo ele, o proprietário não é da Paraíba e chegou ao estado há alguns dias. Nunes disse, ainda, que o piloto desrespeitou as regras da aviação, voando abaixo do limite previsto em regulamentação, o que em locais com grande aglomeração ou residências é de mil pés – altura equivalente a 305 metros.

FAB

A Força Aérea Brasileira (FAB) abriu na segunda-feira (13) um procedimento para apurar o caso. De acordo com o Comando da Aeronáutica, a investigação pode levar à cassação da licença do piloto e apreensão da aeronave.

A Junta de Julgamento da Aeronáutica (JJAER) vai apurar a ocorrência, julgar e aplicar as penalidades em caso de infrações de tráfego aéreo previstas na Lei nº 7.565, Código Brasileiro de Aeronáutica, e na legislação complementar.

A JJAER pode aplicar multa, suspensão e cassação de certificados, licenças, concessões ou autorizações; detenção, interdição ou apreensão de aeronave, ou do material transportado; e intervenção nas empresas concessionárias ou autorizadas. De acordo com a FAB, durante a apuração e julgamento das infrações, é assegurado ao infrator o direito à ampla defesa e a recurso.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...